6 comentários:
De Joshua a 17 de Maio de 2010 às 11:32
Gostei muito deste texto e consegui rever-me nele. Também durante muitos anos, antes da existência generalizada da net , pensei que as conversões não fossem possíveis.
Só que quando vim para Lisboa estudar deixei um pouco essas ideias de lado e quando contactei a comunidade já estava casada e com filhos e tudo se tornou menos possível.
Por isso me alegra tanto seguir o teu percurso.
:-)
De Pseudo a 19 de Maio de 2010 às 13:40
Não entendo porque vc haveria de esperar alguma hostilidade da parte de sua familia ou de seus amigos. Será que no Brasil há maior tolerância religiosa do que em Portugal ou na Europa? Sou neto de portugueses e de familia bastante religiosa mas jamais senti da parte deles qualquer coisa dese tipo. Muito menos de antissemitismo.
De Boaz a 19 de Maio de 2010 às 19:22
No caso da família, não pensava que me expulsassariam de casa, mas a verdade é que, ao decidir-me pela conversão, estaria ao mesmo tempo a dizer que "a forma como a minha família me educou, em termos religiosos, estava errada". E isso pode causar um certo mauestar. No caso dos meus amigos, nunca temi que me cuspissem na cara ou algo do género mas poderia haver uma certa rejeição da minha escolha. Eu tive sorte, conheço histórias menos felizes que a minha, em que os pais não aceitaram as escolhas dos filhos e estes foram ostracizados.
De Gonçalo Oliveira a 24 de Maio de 2010 às 14:33
Gostei especialmente da foto, tirada em Góis numas férias do Grupo de Jovens. E em relação à história, devo dizer que os teus amigos, nos quais eu felizmente me incluo, aceitaram bem a tua decisão. No entanto, alguns houve que não compreenderam algumas atitudes que tomaste já como Judeu, por motivos religiosos, e que como Amigo não tomarias. Isso entristeceu os teus amigos, e causou alguma falta de compreensão nalguns. Tive algumas discussões com outros amigos em comum sobre este assunto.
De pedro a 24 de Maio de 2010 às 23:45
Brutal, eu estou ali no teu texto ENORME...fiquei feliz por ter ajudado, como fico sempre que ajudo algúem :) abraço gandhi amigão :)
De Boaz Gabriel a 25 de Maio de 2010 às 22:16
Estás como "o primeiro que soube", como não poderia deixar de ser. Estive na dúvida se mencionava as pessoas pelos nomes próprios ou se lhes dava nomes falsos. Protecção de identidade.

Comentar artigo