4 comentários:
De Simon a 14 de Julho de 2005 às 10:23
Afinal eram putos de aparência certinha e de mochila às costas que rebentaram com tudo. Seria bom estarmos muito mais atentos aos nossos filhos. A qualidade dos professores nas escolas já não é o que era.

Este caso provavelmente tem motivações de impeto juvenil equivalente às dos putos de Columbine: outro país, outra religião, a mesma desmotivação com uma causa equivalente: busca de um sentido para a vida em completa desorientação e uma ansia mórbida de endireitar o mundo. Inflexibilidade para com os seus mentores irresposáveis e idealistas.
De Funny a 10 de Julho de 2005 às 20:50
É necessário distinguir e separar as acções terroristas de todas as outras, pois de facto o seu impacto é bem diferente. Quando existem, não se pode comparar genocídos com homicídios, no caso do terrorismo e dos outros crimes é a mm coisa! Mas aos terroristas não podemos responder com privação da nossa liberdade, tal como já havia propostas de todos os telefonemas e e-mails na Europa serem vigiados. Isso é dar força aos terroristas, a vida amedrontada, sermos prisioneiros de nós próprios com medo de uma minoria, de alguns extremistas desumanos. O terrorismo acaba, acabando com os terroristas (os peixes grandes).
De simon a 8 de Julho de 2005 às 19:32
Eu cá não distingo este crime de crimes "normais" de "mass crime". Atribuir distinção ou arruma-lo numa secção especial de crime é dar-lhe demasiada distinção de importância.
Inflexibilidade absoluta para com os inflexíveis...para garantirmos os direitos conquistados há muito de podermos continuar a viver despreocupadamente e de modo flexível e tolerante.
De simon a 8 de Julho de 2005 às 19:22
O terrorismo...este, terá tendência para acabar. Basta destronar as cabeças mentoras e deixa de existir a motivação de continuar.

Aconteceu com a Bader Meinhof, Ira, Eta, Brigadas vermelhas; acontecerá com os extremistas islâmicos ou com quaisquer outros que chamam a atenção do mundo por esta via.

Respostas rápidas, cirúrgicas e pouco mediatizadas contra os focos criminosos: tem sido sempre essa a solução ao longo dos tempos (não são demostrações de força ofensivas e ostensivas de longa preparação...tipo Iraque II)

O terrorismo é a forma mais fútil, egocêntrica, cobarde e indiferenciada de se chamar à atenção... e é altamente reprovável pelas pessoas de bom senso..ou seja a grande maioria de nós: a principal razão porque está condenado à morte.

Comentar artigo