5 comentários:
De Mark Robertson a 20 de Abril de 2010 às 12:13
Boaz. Parece que a "sua" Fernanda Ruivo é Presidente do Grupo de Leiria da Amnistia Internacional. Como reagiria a sua evolução?
De Boaz a 20 de Abril de 2010 às 20:08
Soube há pouco tempo da filiação dela na Amnistia Internacional. Apesar de saber que a AI é tantas vezes tão anti-Israel, isso não invalida o método da professora para dar as suas aulas. Não creio que ela se preocuparia muito com a minha mudança para judeu, mas talvez não ficasse muito satisfeita (ainda que ela não tenha nada diretamente a ver com o assunto) ao saber que eu sou - na ideia da AI - um colono em território roubado. Tal como ela não teve vergonha em me dizer que o meu nome era o mesmo que o do maior inimigo dela, logo na primeira vez que falou comigo, eu também não teria vergonha de lhe dizer que vivo em Israel, e achar que tenho todo o direito a viver aqui, por mais que isso seja contra a ideologia dela e ela até pudesse ficar ofendida...
De JBP a 20 de Abril de 2010 às 12:56
De leitura obrigatória sobre Auschwitz/Birkenau, o depoimento de Shlomo Venezia no Livro SONDERKOMMANDO, da Editora Esfera dos Livros.

De Joshua a 21 de Abril de 2010 às 10:24
Tive uma experiência semelhante à que descreves nas aulas de história do nono ano em que se falou da segunda guerra mundial e do holocausto. O ambiente era o mesmo e também nunca o esqueci.
Pergunto-me é como será este assunto explicado na escola, quando chegar a altura, ao meu filho que tem agora apenas seis anos...
De qualquer forma conto estar por cá, com ele, para passar a mensagem de forma correcta.
:)
De antonio a 25 de Abril de 2010 às 01:39
Viva Gabriel

Há quanto tempo não passava por aqui.

História esclarecedora. Infelizmente há muita falta de empenhamento de uma grande parte dos professores no que toca a matérias que possam contribuir para uma boa formação da História do Mundo. Particularmente das incríveis tropelias e atrocidades cometidas pelos Nazis em nome duma questão pueril como era a purificação da raça ariana.

Ou não terá sido uma imensa farsa a instrumentalização dessa ideologia balofa para, dessa forma, roubarem as riquezas dos sacrificados?

Uma idiotice que custou a vida e muito sofrimento a milhões de judeus.

Espero que esteja tudo bem consigo, amigo.

Leiria, António

Comentar artigo