13 comentários:
De kozlowskyelisa@gmail.com a 9 de Agosto de 2011 às 01:56
Caro Boaz, desejo-lhe boa sorte ao encontrar o local mais adequado para transmitir seus conhecimentos, uma comunidade judaica que necessite de alguém como você. Não pensa no Brasil? Tem medo da violência urbana? Não é pior do que nas cidades que você cita nesse texto. Há variedade de comunidades no Rio de Janeiro. Existe a Beit Lubavitch do Leblon e de Copacabana. Creio que sejam Chassídicos. Enfim, desejo-lhe boa sorte! Aprecio muito seus textos. Um abraço.
De Boaz a 9 de Agosto de 2011 às 23:43
Elisa, eu e minha esposa havíamos excluído à partida cidades como o Rio ou São Paulo. Para primeira shelichut, queremos uma comunidade pequena, de preferência sem escola judaica.
A violência é algo que me preocupa realmente. Para alguém do Rio - como você parece ser - isso pode ser algo a que já se habituou por ter vivido nessa situação toda a vida. Eu, que nasci em Portugal, estou habituado a viver em ambientes tranquilos, sem ter medo de sair à rua, mesmo de noite. Vivi em Lisboa por 5 anos e nunca fui assaltado. Hoje a situação está pior nesse aspeto, mas nada que se compare com qualquer cidade do Brasil.
Quando fui de visita a Cancún, uma das coisas que me preocupou à partida foi a onda de violência no México, que está imparável e começa a chegar também a Cancún.
Nunca sairia para um local onde não pudesse sentir segurança para, no mínimo, poder passear com a minha família num parque.
Os Beit Lubavitch apenas recebem shelichim do movimento Chabad, do qual eu não faço parte. Aprecio o trabalho deles em muitos aspetos, mas em outros somos totalmente diferentes em termos de ideologia.

Comentar artigo